Pular para o conteúdo
Voltar

MTI e parceiros realizam roda de conversa em alusão ao Janeiro Branco

Encontro foi direcionado aos servidores do Estado e contou com orientação sobre a importância do cuidado com a saúde mental e troca de experiências entre profissionais e participantes
Thaís Olegário/MTI | MTI

Thaís Olegário
A | A

A MTI (Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação) realizou na manhã desta terça-feira (24.01) uma roda de conversa com os servidores públicos sobre saúde mental. A ação faz parte da Campanha Janeiro Branco, que em 2023 tem como tema “Você sabe o que é saúde mental?”. O evento ocorreu no auditório da Controladoria Geral do Estado.

A iniciativa teve como objetivo orientar sobre a importância de uma mente equilibrada e sadia durante todos os meses do ano, não somente em janeiro, e, ainda, promover troca de experiências e mobilizar os participantes para que desenvolvam um olhar mais sensível e crítico sobre os sintomas de doenças como depressão e ansiedade, bem como quando buscar a ajuda profissional.

A roda de conversa teve a participação da psicóloga Midiã Ferreira Pires, do psiquiatra Lucas de Sá Peixoto Loureiro, e do educador físico Alberto Alexandre Junior, sendo mediada pela psicóloga da Seplag, Rita de Cássia.

Diante de mudanças cada vez mais desafiadoras e aceleradas que exigem novas atitudes, novas habilidades e novos comportamentos, é necessário possibilitar espaços que abordem de forma preventiva as questões de saúde mental.

Segundo o presidente da MTI, Cleberson Antônio Sávio Gomes, é preciso evidenciar esse tema e gerar uma abordagem mais direta, que estimule a conscientização sobre a importância de prevenir os danos emocionais.

“Vivemos em constante pressão por resultados, atingir metas e tantos outros desafios no serviço público que, por vezes, a saúde mental é negligenciada. Por isso, quero parabenizar a todos os envolvidos na realização do evento, por tratar de um assunto tão sério e delicado com profissionais da área. A prevenção sempre será o melhor caminho”, disse.

Para o controlador geral do Estado, Paulo Farias, a atenção à saúde do servidor é um tema de suma importância considerando as exigências da sociedade e da gestão pública. Ainda frisou, que a administração pública são formadas por pessoas que precisam estar bem mentalmente e fisicamente.

“Estamos num momento que precisamos entregar mais, pois, temos como meta de governo a eficiência. Mas, isso passa por pessoas que são a base de tudo. Se as pessoas não estão bem mentalmente e fisicamente, o produto que a gente entrega não vai sair”, disse o controlador.

Ele ainda ressaltou a importância de eventos como “Você sabe o que é saúde mental?”, já que uma oportunidade de debate para encontrar soluções sobre a saúde e qualidade de vida dos servidores. E controlador ainda comentou sobre a mudança de atuação da CGE que terá mais ênfase a prevenção e no olhar para o servidor.

Conforme a gerente da GACD, Ana Flávia Derze, a dinâmica foi voltada para o autoconhecimento, para a importância de se cuidar, e de pedir ajuda profissional se necessário. A falta de atenção com a saúde mental influencia o aparecimento de outros males físicos e psicológicos.

“Cuidar das emoções deve ser o primeiro objetivo para qualquer situação do cotidiano ou profissional, já que todas as outras conquistas dependem de estabilidade psicológica. Um efetivo controle emocional é a chave para alcançar uma vida plena. Desta forma, falar de saúde mental torna-se imprescindível”, concluiu.

Com dados recentes, a mediadora da roda de conversa, Rita, disse que a maioria das desordens mentais estão ligadas à carga da depressão, estresse e ansiedade - e isso em caráter global, pois a Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que os números de diagnósticos de depressão no mundo giram em torno de 300 milhões. O problema são as implicações da doença, porque há relação direta da depressão com o desenvolvimento de diversas enfermidades crônicas.

O equilíbrio das funções do organismo humano está associado à perspectiva biológica e psicológica. Falar em saúde mental é também incentivar a cultura desse cuidado com o emocional, o psicológico. Corpo e mente precisam andar em harmonia. Trazer profissionais de cada área da saúde é mostrar que um é complemento do outro, assim como a prática regular de atividade física, além de melhorar o condicionamento físico também melhora a capacidade cognitiva e diminui os níveis de ansiedade e estresse de maneira geral.

Fazer exercícios contribui para melhorar a autoestima, o autoconceito, a imagem corporal, as funções cognitivas e de socialização de pacientes que apresentam algum risco de saúde mental.

“Esse evento é de fundamental importância para o servidor, mostrando a eles alternativas para manter o equilíbrio emocional e melhorar a qualidade de vida”,  completou.

O encontro, promovido pela Gerência de Aplicação, Conhecimento e Desenvolvimento (GACD) da MTI, contou com a parceria da CGE-MT (Controladoria Geral do Estado de Mato-Grosso), MT Saúde (Mato-Grosso Saúde), Sedec (Secretaria de Desenvolvimento Econômico) e Desenvolve MT. 

Além da palestra, foram realizados no Espaço de Convivência da CGE exames de aferição de pressão, teste glicêmico e bioimpedância para os servidores.