Pular para o conteúdo
Voltar

Novo serviço da Nota MT facilita vida do consumidor

Lorrana Carvalho | Sefaz-MT

- Foto por: Assessoria
A | A

Economizar na hora das compras é um dos principais objetivos de todo consumidor. E foi pensando em facilitar o dia a dia dessas pessoas que a Secretaria de Fazenda (Sefaz), em parceria com a Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI), criou e disponibilizou o serviço “Menor Preço”, vinculado ao Programa Nota MT. A ferramenta permite que os usuários avaliem os valores praticados por cerca de 100 mil estabelecimentos comerciais mato-grossenses.

Para utilizar a ferramenta é preciso ser cadastrado no Programa Nota MT. O registro pode ser feito pelo site ou pelo aplicativo disponível para dispositivos móveis. De acordo com a Sefaz, o acesso ao Menor Preço não é vinculado aos sorteios do Programa Nota MT. Sendo assim, aqueles usuários que não quiserem participar dos concursos podem fazer o cadastro no Nota MT apenas para utilizar a pesquisa de preço.

No Menor Preço, o consumidor pode pesquisar o valor de qualquer tipo de produto. Combustíveis, produtos alimentícios, equipamentos eletrônicos, móveis, artigos para casa, vestuário e calçados são alguns dos produtos que podem ser pesquisados. O resultado mostrado é obtido das notas fiscais emitidas pelos estabelecimentos comerciais, com ou sem informação do CPF na nota. 

Ao fazer a pesquisa de preço o usuário deve informar a descrição do produto ou fazer a leitura, com a câmera do celular, do código de barras. Alguns parâmetros de busca são disponibilizados para auxiliar o consumidor como: palavras chaves, município (localização), período em dias e valor máximo e mínimo. No caso do período, por exemplo, o usuário pode informar se quer buscar os valores das últimas 24 horas ou dos últimos 30 dias.

Utilizando a geolocalização e raio de busca, disponível apenas no aplicativo de celular, o Menor Preço fornece a localização exata do usuário, acompanhada de raio de distância para a procura de estabelecimentos. Nesse caso, são pesquisadas as notas fiscais dos estabelecimentos que estejam dentro da distância determinada em relação à geolocalização do cidadão.

Os resultados encontrados são ordenados com base no menor preço, similaridade da palavra chave com o produto, venda mais recente e localização do cidadão e do estabelecimento. Com isso, o consumidor poderá visualizar na lista ou no mapa os valores com detalhamento do endereço do comércio e horário da última venda.

“O Menor Preço considera a descrição de nota, ou código de barras informado na nota fiscal. O preenchimento dessas informações é de responsabilidade do estabelecimento, podendo dificultar a busca caso a descrição do produto comercializado esteja incorreta ou incompleta”, explica o superintendente de TI da Sefaz e analista da MTI, Ricardo Crudo.

Crudo ressalta ainda que o Menor Preço atualiza as informações dos valores praticados no mercado a cada 24 horas, durante o período da noite, buscando os dados das notas fiscais transmitidas e aprovadas pela Sefaz. “Para a pesquisa, é considerada a última venda de cada estabelecimento para aquele produto disponível na base. Ou seja, há um atraso de até um dia entre a venda de um produto e que esse valor esteja disponível para a pesquisa”.

É importante destacar que a Secretaria de Fazenda, por meio do Menor Preço, apenas divulga o valor dos produtos e mercadorias com base nas notas fiscais. Não há estímulo de consumo, indicação de qualidade ou de estabelecimento comercial. Além disso, pela legislação, não há obrigação do estabelecimento em praticar o valor exibido pela consulta. Cabe ao cidadão utilizar as informações disponibilizadas para avaliar as melhores opções para sua compra.