Pular para o conteúdo
Voltar

MTI participa de encontro do Grupo de Transformação Digital dos Estados e Distrito Federal

Gustavo Nascimento | MTI

- Foto por: Assessoria MTI
A | A

A Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI) participou do 4º encontro do Grupo de Transformação Digital dos Estados e Distrito Federal (GTD), realizado em Brasília (DF). Durante o encontro foram apresentadas propostas para transformar a vida dos cidadãos por meio da tecnologia.

Criado em 2019 pela Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Tecnologia da Informação e Comunicação (ABEP) e o Conselho Nacional de Secretários de Estado de Administração (CONSAD), o GTD desponta como uma iniciativa que une gestão, negócio e tecnologia da informação como ponto focal para um acesso mais amplo dos serviços aos cidadãos e redução de custos para os governos.

Para o diretor vice-presidente da MTI, Cleberson Antônio Sávio Gomes, que participou do evento, o proposito do GTD está muito alinhado com a visão, missão e os valores da MTI.

“O propósito do GTD é transformar a experiência das pessoas, com os serviços públicos, gerando valor de forma simples, próxima e confiável. Por isso, participar desses espaços é fundamental para que possamos atingir as nossas metas de médio e longo prazo, além de firmar parcerias com órgãos e empresas que estão em consonância com a nova postura estratégica da MTI ”, afirmou.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) também participou do encontro, onde apresentou uma nova linha de financiamento para que os Estados implementem a Transformação Digital. O orçamento previsto para essa nova linha é de aproximadamente R$ 1 bilhão.

O encontro contou com diversas palestras de empresas de tecnologia e cases de sucesso desenvolvido pelos Estados. Entre eles, uma parceria da RW3/Google com a MTI que pretende revolucionar a forma como o cidadão interage com os serviços públicos.

“Foi muito positivo ver o nosso projeto conjunto ser bem recebido por todos os presentes. Acreditamos fielmente que medidas disruptivas como estamos implementando sejam o caminho para o futuro dos serviços e políticas públicas no nosso Estado e consequentemente o país”.