Pular para o conteúdo
Voltar

MTI celebra 46 anos de fundação e resultados

A data foi celebrada com festa para os colaboradores que fazem parte da história da empresa, inclusive, com homenagem para aqueles que atuam a mais tempo.
Karine Miranda | MTI

A celebração foi realizada no pátio da empresa e reuniu todos os colaboradores - Foto por: Tchélo Figueiredo/Secom-MT
A celebração foi realizada no pátio da empresa e reuniu todos os colaboradores
A | A

A Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI) comemora, nesta quarta-feira (19.06), 46 anos de fundação com uma história de avanços e incontáveis contribuições ao Estado de Mato Grosso. Por essa razão, a data foi celebrada com festa para os colaboradores que fazem parte da história da empresa, inclusive com homenagem para aqueles que atuam há mais tempo.

A celebração foi realizada no pátio da empresa e reuniu todos os colaboradores que atuam na sede e também os cedidos.  Eles foram recebidos ao som da banda musical do Corpo de Bombeiros.

Para iniciar a celebração, foi realizado um pequeno culto ecumênico, em que a colaboradora Angela Maria fez uma oração. Na sequência, o diretor-presidente interino da MTI, Kleber Geraldino, destacou a importância de cada um dos colaboradores para a construção da história da empresa.

“Todos são responsáveis pela evolução da MTI. Quando cheguei aqui no primeiro dia, na presidência, vi alguns troféus de reconhecimento e serviços que vocês prestaram. Muitos não sabem desses troféus. Mas vocês foram reconhecidos nacionalmente por cada uma das coisas que desenvolveram. Tudo isso através da competência de cada um”, disse.

Presidente da MTI, Kleber Geraldino.

Ainda segundo o presidente, atualmente a MTI está repensando sua forma de operar, para que possa atuar de forma mais inteligente na prestação dos serviços de tecnologia e, com isso, passar a ser o único gestor de tecnologia do Governo do Estado, sem necessidade de contratação de outras empresas.

“Precisamos entregar ao governo algo mais factível do que hoje nós fazemos. É isso que estamos batalhando no dia-a-dia. Estamos deixando de ser coadjuvantes, para ser os gestores de TI no Estado. Precisamos deixar de ser coadjuvantes na parte de implementação e desenvolvimento e temos que ir mais na área de negócio. Essa é nova meta e nova metodologia que estamos implantando. Queremos que os analistas tragam soluções novas, através de ferramentas novas, para que a parte desenvolvimento fique a cargo da fábrica de software”, afirmou.

Para um futuro próximo, o presidente avalia que a empresa está seguindo um novo rumo, mais próspero na prestação de serviços de qualidade não apenas para o Governo do Estado, como para todos os clientes da empresa. Atualmente, a MTI mantém 200 sistemas de Tecnologia da Informação, atende a cerca de 4 mil demandas de software por ano, de um total de 52 órgãos do Poder Executivo, 113 instituições municipais e 5 instituições estaduais.

“Graças a Deus estamos conseguindo fazer as mudanças necessárias na empresa e apresentando o que o MTI faz: todas as ferramentas, tecnologias, soluções que estão no nosso portfólio e que o Estado pode usufruir. Dentre as muitas coisas que implementamos e gerenciamos, muitos não sabem e pensam que são empresas terceirizadas, muitos pensam que a MTI faz só configuração e instalação de computadores. Mas estamos conseguindo mudar essa mentalidade e demonstrar o que a MTI realmente faz”, encerrou.

Como reconhecimento por todos os anos de contribuição, e representando todos os colaboradores, a diretoria executiva da empresa entregou um certificado de mérito funcional aos analistas Ibraim Rezende, Deusival de Oliveira Matos e Mario Marcio do Vale Silva. Também foram homenageados os ex-diretores presidentes da empresa Evaristo Fava e Djalma Soares, além do atual diretor-financeiro César Vidotto, representando a atual diretoria. 

O evento, custeado pelos próprios colaboradores, foi encerrado com um célebre parabéns, entoado por todos junto à banda, com os votos de prosperidade à empresa e todos os seus membros que, na sequência, puderam aproveitar um delicioso coffe-break.

História de resultados

Criado antes da divisão de Mato Grosso, ainda em 1973, o denominado Centro de Processamento de Dados de Mato Grosso (Cepromat), hoje MTI, tinha sua sede em Campo Grande, atual capital do Mato Grosso do Sul. Na época, o Cepromat era um departamento da Secretaria de Planejamento e Coordenação Geral.

De lá para cá, o Cepromat passou por inúmeras mudanças e evolução. Tornou-se empresa pública, acompanhou o avanço da tecnologia e conquistou o posto de primeira empresa de tecnologia do Estado a conseguir fazer acesso a outros bancos de dados via web, de forma remota, ainda nos primórdios da internet, em 1992. 

Servidores são homenageados com certificado de mérito funcional

Anos depois, o Cepromat desenvolveu inúmeros sistemas vitais à administração pública de Mato Grosso, tais como os de Protocolo, Controle e Materiais, de Dados, Orçamentários Físicos e Financeiros, de Administração Financeira e de Recursos Humanos.

Um dos principais serviços foi o Sistema Integrado de Planejamento, Contabilidade e Finanças (Fiplan) e a rede Infovia, que integrou todos os órgãos estatais, da administração direta e indireta, através de uma rede de computadores com alto desempenho e confiabilidade. A rede existe até hoje e significou não apenas uma redução dos custos de comunicação, como aproximou o serviço público do cidadão.

Além disso, o Cepromat também foi destaque em serviço prestado e referência de tecnologia, conquistando os prêmios IBest dos anos de 2003 a 2006. Na época, era considerada a maior premiação referente a serviços de internet. 

Com o passar do tempo e o avanço da tecnologia necessária para a modernização do Estado, o órgão precisou se expandir e abrir as portas para novos mercados e houve a modificação do nome de Cepromat para MTI, em 2016.