Pular para o conteúdo
Voltar

MTI altera estrutura organizacional e reduz 30% dos cargos comissionados

A medida passa a vigorar a partir de 1º de fevereiro e visa a otimizar o fluxo de trabalho na MTI.
Assessoria de Comunicação | MTI

A | A

A Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI) alterou sua estrutura organizacional e extinguiu 30% dos cargos comissionados. A medida passa a vigorar a partir de 1º de fevereiro e visa a otimizar o fluxo de trabalho na MTI.

A alteração da estrutura será publicada no Diário Oficial nos próximos dias e foi realizada de modo a atender as diretrizes do Governo do Estado, de reduzir os gastos públicos e garantir a viabilidade econômico-financeira da MTI.

De acordo com o presidente da MTI, Kleber Geraldino, as mudanças ocorrem principalmente na parte administrativa da empresa. Com a nova estrutura, haverá a extinção de 20 cargos comissionados, passando de 67 cargos para 47.

O índice de redução desses cargos é superior ao aprovado pelo Conselho de Administração da MTI, no início deste mês, que estabeleceu redução de 25% dos comissionados. Também houve o reajuste dos salários pagos aos comissionados.

“Aproveitamos o momento de redução dos cargos para implementar uma nova filosofia de trabalho na MTI. A redução foi maior do que o previsto em razão da necessidade de melhorar e otimizar o processo de decisão dentro da empresa”, afirmou o presidente.

Houve mudança nos níveis de apoio de Direção Superior, com a redução de quatro diretorias para duas, a Diretoria Administrativa e a Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação, que se readequaram e absorveram as funções das demais diretorias.

As mudanças também ocorreram no nível de Assessoramento Superior, com a redução da chefia de gabinete, e no nível de Apoio Estratégico e Especializado, no qual se manteve o número de unidades, mas houve alteração nas nomenclaturas e funções. 

Apesar da redução e fusão das diretorias e unidades, o quadro técnico da MTI foi mantido e a empresa permanecerá em condições de executar suas atividades e entregar serviços e produtos de tecnologia da informação ao Estado, segundo o presidente. 

“Para que se concretize essa nova filosofia, neste momento delicado em que se encontra a empresa, tenho a certeza de que podemos contar com a nossa principal matéria-prima: os empregados da empresa. O engajamento é essencial neste momento”, encerrou o presidente.